Por que você deveria incluir Osaka no seu plano de viagem ao Japão?

Quando eu comecei a montar meu plano de viagem do Japão (8 meses antes de viajar), uma das principais dúvidas que eu tive foi se eu deveria ou não ir a Osaka e quanto tempo ficar! E digo uma coisa para vocês: ainda bem que a decisão foi incluí-la no plano e passar duas noite por lá, pois Osaka é uma cidade surpreendente, curiosa, animada e que tem muito a oferecer!

Por isso, vim compartilhar com vocês o porquê eu acho que deveriam visitá-la quando forem ao Japão e, na medida do possível, sem ser em um bate e volta ou apenas por um dia.

Depois de longas pesquisas e algumas conversas com quem já havia estado no Japão, percebi que muitos viajantes não colocavam Osaka nos planos ou só faziam um bate e volta, basicamente, por dois motivos.

Primeiro porque, usualmente, ela acaba sendo “deixada de lado” por não ser considerada, por muitos, como uma cidade imperdível em termos de atrações turísticas. Citam muito o Castelo de Osaka (que realmente é maravilhoso) e o Aquário Kaiyukan (que não visitei, pois já tinha ido a aquários deste tipo em outros países e não é um passeio que me interessa tanto).

Castelo de Osaka

Segundo pelo fato de que, normalmente, quando se decide visitar a região de Kansai (centro sul do Japão que inclui as cidades de Osaka, Quioto, Nara, entre outras), e a depender do período da viagem, Quioto acaba atraindo muito mais os turistas – por questões óbvias – e consome mais dias da viagem que acabam sendo dedicados a esta parte do país.

Pois bem, dito isso, vamos ao que interessa, né?!

Pra mim, Osaka não é só a terceira maior cidade do Japão (atrás de Tóquio e Yokohama) e uma das regiões industriais mais importantes do país. É uma cidade onde você poderá ver, entender e conviver com um outro tipo de japonês (bem diferente daquele que se vê, de modo geral, em Tóquio e Quioto, por exemplo) o que, de certa forma, já é fugir do óbvio, né?!

Os japoneses de Osaka, em geral, são pessoas muito mais ‘barulhentas’, divertidas, abertas à cultura ocidental e digamos que até um pouco ‘rebeldes’ pelo que pude perceber, especialmente os mais jovens. Conseguem imaginar?

Não menos relevante, pelo menos pra mim que adoro fazer um ‘tour gastronômico’ quando viajo, Osaka também é conhecida por ser a ‘cozinha do Japão’. Os osakenses amam comer!

Takoyaki
Okonomiyaki

Quando voltei a Tóquio vinda de Osaka, conversando com alguns locais, descobri que na visão geral dos japoneses, os osakenses comem de maneira até exagerada (para os padrões japoneses) e que uma expressão é usada para defini-los: ‘kuidaore’. Significa algo do tipo ‘comer até arruinar-se’. E, inclusive, foi o que aconteceu comigo, rs!

Por todas estas razões e pelo que pude ver com meus próprios olhos, voltei com a certeza do quão diferente Osaka é do resto das cidades japonesas (pelo menos das que conheci) e a verdade é que eu adorei, me diverti muito e me surpreendi.

Então, aproveita e já anota aí as minhas dicas de Osaka:

  • Ficar pelo menos duas noites na cidade, não só para aproveitar a agitada vida noturna, mas, principalmente, para conseguir assimilar essas diferenças de estilos dos japoneses de Osaka que me referi acima, assim como para ir muito além do que os guias de viagem, em geral, indicam como imperdível.
  • Dar um pulo na rua gastronômica Takimi Koji (que fica no complexo Shin-Umeda City, onde está o Umeda Sky Building – uma das principais atrações turísticas da cidade). Esta rua é decorada com cartazes e pôsteres da era Taisho, o que faz dela um ambiente ainda mais especial e interessante.Takimi Koji

    Umeda Sky Building
  • Passear pelos maravilhosos jardins do Castelo de Osaka. Posso dizer para vocês que foi o lugar mais bonito que eu visitei nesta minha ida ao Japão. A beleza desse lugar ao vivo é indescritível!
  • Perder a hora se divertindo com as lojas e vitrines do bairro eletrônico de Den Den Town. Um passeio por aqui serve para conhecer aquele Japão das coisas engraçadas, atípicas e curiosas, é uma sensação de estar em um filme ou desenho animado, sabe? A título de comparação, seria o “Akihabara de Osaka”. Akihabara é um bairro em Tóquio (que por sinal eu também amei!) que é o paraíso da cultura otaku (animes e mangás), eletrônicos, videogame, entre outros.
  • Andar sem rumo pelo divertido bairro Shinsekai. Ah, como eu gostei desse lugar!
  • Conhecer o mercado Kuromon Ichiba e experimentar de tudo e mais um pouco (especialmente a fantástica variedade de peixes e frutos do mar nas suas mais diversificadas preparações). Olha só esses polvinhos fofos recheados com ovo de codorna, que tal?
  • Passear tranquilamente por Dotonbori (de dia e de noite, pois são passeios bem diferentes), ver e fotografar (claro!) as divertidas fachadas dos restaurantes e aproveitar para comer um takoyaki por aqui, um okonomiyaki e um negiyaki por ali, umas gyosas e uma izakaya por aqui, um caranguejo por ali e assim vai… Eu perdi as contas de tudo que eu experimentei em Osaka, rs!
  • Se você gosta de comprar, aproveite para dar um passeio pelos bairros de Shinsaibashi, Amerikamura e Namba, especialmente no complexo comercial Namba Parks, que, inclusive, tem uma arquitetura bem peculiar.Shinsaibashi

    Amerikamura
    Namba Parks
  • E, por fim, se tiver interesse em templos, vale visitar o Isshinji Tennoji e o Shi-Tennoji.

Então, você não acha que há motivos suficientes para reservar mais de um dia para explorar Osaka e fugir do óbvio? Gostou das dicas e ficou com vontade de visitar esta cidade incrível? Conta pra gente e aproveita para compartilhar esse post com aquele amigo ou familiar que sonha em ir ao Japão!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s